Notícias

Tromboembolismo pulmonar: saiba os sinais da doença que matou cantor Maurílio

Médicos avaliam que músico sertanejo pode ter ignorado sinais da doença

Por Agência Brasil | 30/12/2021 às 11:15
Reprodução/Instagam
Foto: Reprodução/Instagam

Sertanejo Maurílio passou mal no palco durante a gravação de um DVD

O Brasil ficou impactado com a morte do cantor sertanejo Maurílio, que fazia dupla com Luiza, aos 28 anos de idade, por choque séptico que acontece quando uma infecção grave se espalha pelo corpo e causa falência múltipla dos órgãos. O problema foi consequência de um tromboembolismo que acometeu o cantor no dia 15 de dezembro. 

Maurílio passou mal durante a gravação de um DVD de outra dupla sertaneja. No dia, ele chegou a cair no palco e foi socorrido. O cantor teve três paradas cardíacas, foi reanimado, mas depois de duas semanas em estado grave em um hospital de Goiânia, não resistiu.

Segundo o médico urologista e professor da Faculdade de Medicina da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) do Distrito Federal, Diogo Mendes, o tromboembolismo é uma palavra na qual “trombo” significa coágulo, sangue coagulado. Já “embolia” é uma espécie de corpo estranho que se movimenta pelo sangue. “Quando a gente junta os dois, a gente está dizendo que teve um coágulo que se movimentou para um lugar indesejado. Com isso, podemos ter embolia cerebral, embolia cardíaca, embolia pulmonar, embolia renal, embolia nos membros”, explicou Mendes. O médico acrescentou que o tromboembolismo pulmonar, geralmente, é causado por coágulos originados nas pernas, que “caminham” lentamente pelas veias e vão até o pulmão, trajeto normal do sangue.

Sintomas iniciais

Na avaliação do médico ouvido pela reportagem, Maurílio não levou em conta sinais de que não estava bem e isso agravou o quadro. No dia que foi internado o cantor apresentava cansaço, estava vermelho, com dores nas pernas, apresentava falta de ar até que desmaiou. “Nesses casos, com qualquer um desses sintomas, é preciso procurar rapidamente atendimento médico", ressaltou o especialista.

O tratamento da doença é feito à base de anticoagulantes, remédios que fazem dissolver os coágulos. Sendo que em alguns casos é necessário usar um cateter para recanalizar o vaso que foi obstruído, explicou o professor.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou