Notícias

Marisa Gata Mansa foi a primeira a gravar uma música de João Gilberto e cantou com Caetano

Cantora também inspirou o batismo de colega moçambicana e deixou para a história registros de clássicos de Paulo César Pinheiro e Lupicínio Rodrigues

Por Raphael Vidigal | 27/04/2022 às 14:24
Odeon/Reprodução
Foto: Odeon/Reprodução

O apelido surgiu graças à voz suave e ao jeito sussurrado de falar. Isso aliado à languidez felina dos olhos que, não por acaso, apareciam juntos aos de um gato na capa do primeiro LP de Marisa Gata Mansa (1938-2003), quando seu nome artístico ainda era grafado com “z”: “A Suave Mariza”, de 1959. 

Foi o jornalista Djalma Sampaio quem criou a alcunha para a cantora carioca que, em 1953, gravou a primeira música de João Gilberto, “Você Esteve com Meu Bem”, à época, seu namorado. Duas décadas depois, em 1973, a artista inspirou o pai da cantora moçambicana Mariza a batizar sua primeira filha. 

A brasileira foi casada com o pianista César Camargo Mariano, que mais tarde se tornou marido de Elis Regina. Em 1961, Marisa Gata Mansa dividiu um espetáculo com Taiguara e Caetano Veloso, em pleno João Sebastião Bar. Ela também dedicou um álbum à obra do compositor Antônio Maria.

Nascida no dia 27 de abril de 1993, no Rio de Janeiro, Marisa morreu na mesma cidade, no dia 10 de janeiro de 2003, aos 69 anos, já esquecida pela indústria fonográfica, mas deixou um legado de grandes interpretações. 

“Preconceito” (samba-canção, 1953) – Fernando Lobo e Antônio Maria
Em 1953, a dupla formada por Fernando Lobo e Antônio Maria compôs outro samba-canção de impacto, novamente lançado por Nora Ney: “Preconceito”. “Porque você me olha/ Com esses olhos de loucura?/ Porque você diz meu nome?/ Porque você me procura?”. A música foi regravada por Maria Bethânia, Marisa Gata Mansa e Cazuza, e se tornou um hino da comunidade LGBTQIA+.

“O Amor em Paz” (bossa nova, 1960) – Tom Jobim e Vinicius de Moraes
Foi durante uma viagem de trem entre Rio e São Paulo, em 1960, que Tom Jobim e Vinicius de Moraes compuseram a música “O Amor em Paz”, destinada a um programa de televisão comandado por Agostinho dos Santos e regravada pela cantora Marisa Gata Mansa. 

Mas foi a gravação de João Gilberto, em 1961, que a consagrou definitivamente. Cerca de trinta anos depois, a canção estabeleceu uma nova ponte entre Rio e São Paulo, ao unir o paulistano Toquinho ao carioquíssimo Ivan Lins no mesmo palco.

“Um Favor” (samba-canção, 1972) – Lupicínio Rodrigues
Uma das músicas mais sensíveis de Lupicínio Rodrigues foi lançada em 1972, pelo cantor Jamelão, que se habituou a interpretar o repertório do compositor gaúcho. “Um Favor” chamou a atenção de artistas dos mais variados matizes, recebendo versões de Marisa Gata Mansa, Gal Costa, Jards Macalé, Elymar Santos, Áurea Martins, Edith Veiga, dentre outros, sempre com muito sucesso.

“Viagem” (MPB, 1973) – Paulo César Pinheiro e João de Aquino
“Eu sou o recordista mundial de música popular, tenho mais de 2.000 canções compostas e cerca de 1.400 gravadas”, avaliza o compositor Paulo César Pinheiro. Composta aos 14 anos, a canção “Viagem” foi lançada pela cantora Márcia, mas o grande sucesso veio com a gravação de Marisa Gata Mansa, em 1973, a pedido de Clara Nunes. A belíssima melodia é de João de Aquino.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou