Notícias

‘Lula e Bolsonaro querem reviver o passado’, diz pré-candidato à Presidência pelo Pros 

Pablo Marçal foi o entrevistado do Podcast Abrindo o Jogo

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Por Edilene Lopes | 30/05/2022 às 10:04
Reprodução Instagram
Foto: Reprodução Instagram

Pablo Marçal avalia ainda que Bolsonaro foi o antibiótico necessário para tirar o PT do poder

O pré-candidato à Presidência da República pelo Pros, Pablo Marçal, acredita que pode receber apoio de vários partidos no decorrer dos próximos meses. Ele foi o entrevistado do Podcast Abrindo o Jogo desta segunda-feira (30) e afirmou que será o presidente da República em 2023. Além disso, considera que Lula e Bolsonaro querem reviver o passado.  

Pablo Marçal avalia ainda que Bolsonaro foi o antibiótico necessário para tirar o PT do poder, mas passou do ponto e já cumpriu a missão.  

Ele foi o antibiótico necessário para tirar aquela quadrilha que estava realmente saqueando esse país. O antibiótico passou do ponto. Só isso. Então, a gente tem que entender o seguinte: ele foi colocado como um salvador da pátria, mas ele não é um salvador”, disse o político.  

Para Marçal, Bolsonaro não tem a energia para direcionar o país. “Querem viver o passado. A gente precisa de alguém que aponta o futuro pro país. Nenhum dos dois (Lula e Bolsonaro) vai sentar na cadeira de presidente da República”, disse. Ao ser questionado quem será o vencedor, respondeu: “Você está olhando para essas pessoas”. 

O pré-candidato à Presidência da República disse ainda a chamada terceira via está morta. “É um grupo gigante de quatro partidos e eles não se entendem”, disse Pablo, que se define como um candidato do ‘alto’.

“Não sou obrigado nem a ser de esquerda e nem de direita. Vou falar porquê: sou piloto de corrida. Eu corro na Mercedes-Benz na Challenge na C300. E o carro, quando ele está puxando a roda pra esquerda, ele fica mais lento. Quando ele está puxando pra direita ele também fica. Mas quando está puxando para os dois lados, o carro não anda. E o Brasil está desse jeito, uma década jogada no lixo”, comparou. 

Para ele, o Brasil polarizado corre risco de uma ruptura institucional. “A gente está caminhando para um cenário que a gente nunca viu”, alerta.     

Marçal é empresário e escritor e tem mais de 2,5 milhões de seguidores do Instagram. Em janeiro deste ano, ele fez uma expedição ao Pico dos Marins, em São Paulo, próximo a Minas Gerais, mas depois de uma tempestade, o grupo de pessoas teve que ser resgatado pelos Bombeiros, o que virou notícia nacional.  Assista:

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou