Ursula Nogueira

Coluna da Ursula Nogueira

Veja todas as colunas

O fim da linha está chegando

Cruzeiro é grande demais e pode anotar: se o tombo vier não será tranquilo.

29/11/2019 às 12:47

Bruno Haddad/Cruzeiro

É difícil ter um pingo de esperança para afirmar que o Cruzeiro não cai para a Série B. Diante da grandeza do clube, da história, de tantos jogadores excelentes que já vestiram a camisa celeste, de tantos títulos conquistados por anos seguidos...  Como imaginar que jogadores que ganham salários monstruosos não conseguem acertar o goleiro diante de uma cobrança de pênalti? E olha que não é qualquer pênalti. É o [pênalti] decisivo. Não dá pra acreditar que o pênalti foi perdido de propósito. Não é possível uma coisa dessa.

Ainda nos primeiros meses do ano, o Cruzeiro já vinha caindo assustadoramente sem nenhum respiro de recuperação. Sem nenhum fôlego para o torcedor que lota o Mineirão numa noite chuvosa, horário tarde, no meio da semana. A torcida está desacreditada, triste, angustiada e ainda sim tem dado o apoio nos jogos. Não me refiro, nem justifico os baderneiros de plantão. Isso não tem outro jeito a não ser a severidade nas atitudes a serem tomadas pelas autoridades. 

Técnicos e técnicos já foram demitidos e readmitidos, mandam embora de novo e tudo com o apoio dos atletas que não deveriam nem se meter nisso. 

O futebol está insustentável, com os salários surreais diante da economia que se pagam aos jogadores medalhões que, infelizmente, não trazem resultados e não fazem jus aos R$ 400 mil, R$ 500 mil, R$ 800 mil de salários que ganham por mês. 

Tem jogador da base que está em boa fase. Usem a base! Tenham coragem! Apostem enquanto há tempo. O trabalho com os meninos tem que gerar frutos.

O torcedor não pode ser feito  de "palhaço". Eles  pagam mensalidade de sócio todo mês, com toda dificuldade. Deixam de sair com a família e pagam passagem do ônibus para ir ao estádio em dia de jogos. Ficam sem o lanche durante as horas dispensadas para assistir à partida de futebol do time do coração. Quem apoia não merece esta falta de interesse, de profissionalismo, de comprometimento... 

Agora, mais um capítulo dessa novela interminável de 2019. Sai Abel e vem Adilson. Mudança de novo? A raiz do problema não é só essa.

Cruzeiro é grande demais e pode anotar: se o tombo vier não será tranquilo.

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link